Transformando pensamentos em oração

 

1 Tessalonicenses 5: 16, 17 diz: “Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar…. “

 

E como podemos fazer isso? Primeiro, como podemos regozijar sempre sem negar a realidade das nossas lutas e emoções? E em segundo lugar, como podemos orar sem cessar?

Agora, nós sabemos que Deus não ficará feliz com meras palavras de louvor se não brotarem do coração (Mt 15:8-9). Regozijai-vos sempre não pode significar “Basta falar as palavras alegres em todas as circunstâncias”, para Ele tem mais valor o que está acontecendo no coração do que o que está vindo dos lábios.

E sabemos que Deus não quer que falemos só com Ele, pois estamos edificando os outros com o nosso discurso – exortação, ensino, incentivo, profecia.

Paulo parece fazer algo mais profundo. É como se ele estivesse dizendo que há uma alegria em Deus que está relacionada a uma postura de diálogo permanente com ele. Paulo expõe essa idéia em Filipenses 4:6. “Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças”.

Através de uma atitude de gratidão, voltamos nossas preocupações para a oração.

Nós derramamos nossos corações diante dEle, toda mágoa, todas as preocupações, cada luta! E fazendo isso, nós chamamos a mente quem é Deus e o que Ele faz. Nós percebemos e admitimos nossas lutas à luz da Sua natureza, Suas promessas e Sua fidelidade.

Isto é exatamente o que encontramos nos Salmos: honestidade absoluta para com Deus e confiança radical nEle, muitas vezes vista pelos modernos como mutuamente exclusivas, são repetidamente reunidas para dar-nos o retrato interior, a alma de um santo. Aquele que finge que não tem nenhuma luta não é nenhum santo, ele é simplesmente a negação! Mas, há aquele que admite a luta e que, no entanto, vê essa luta como base para que a glória de Deus seja vista – existe aquele que é como Abraão, Moisés e Davi.

Então, nós pegamos nossos pensamentos e os transformamos em oração. E pensamos em Deus, no que Ele revelou em Sua Palavra, e transformamos em oração. Nós não escondemos nossas lutas, falamos as palavras de Deus para elas. Cada pensamento de tentação, seja para imoralidade ou exposição de alguma escuridão oculta no coração (raiva, inveja, etc), pode ser transformada em diálogo com o Senhor. Compartilhamos. Perguntamos a Ele. Nós O escutamos. Repetimos o que Ele diz.

Estimamos quem Ele É e o que Ele diz acima de tudo. Suas promessas são as palavras pelas quais vivemos. Esta postura de alegria Nele nos capacita a viver uma posição de diálogo permanente com ele, a posição de como nós andamos com o Espírito, resistindo à ânsia da escuridão da luta que está em nós. Falamos com Ele! Compartilhamos pensamentos – comunhão. Nossos pensamentos, Seus pensamentos. E, em tempo, nossos pensamentos tornam-se mais semelhantes aos Dele. Nossos pensamentos se tornam cativos ao conhecimento de Deus, e eles se alinham.

Há uma promessa que liga Paulo com essa oração (observe como o versículo 7 segue o versículo 6!): “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus” (Filipenses 4:7) . A paz está relacionada com a nossa atitude de gratidão que se transforma em diligência na oração.

Não importa o quão intensa seja a tempestade ao seu redor, ou quais as decepções te derrubaram, se sua vida tornou-se um diálogo permanente com o Senhor, a paz é a sua porção em Cristo. Isso não significa que você não luta. Isso não significa que as tentações não vão te rondar ou mexer no seu interior. Mas a paz vai te guardar no ataque de pensamentos sombrios que tentam se apossar de você.

O inimigo não encontrará um ponto de apoio em você, porque você vai transformar esses pensamentos em oração.

Mesmo que já exista dentro de você alguma antiga fortaleza que o inimigo fez, fortaleza cujas raízes provêm de algum trauma do passado ou pecado – não vai ficar para sempre, porque o novo guarda vai assumir. Voltando seus pensamentos e seu diálogo à Deus, Ele te levará a lançar um ataque vitorioso em nome de Cristo contra essa velha fortaleza.

Caminhar com Cristo é uma jornada. Ele é muito paciente conosco. Ele não espera que sejamos perfeitos imediatamente. Possuindo a terra por Ele prometida (falo em sentido figurado, de todo o nosso ser, pois somos a sua herança, tanto quanto Ele é nosso) é um processo que envolve muitas batalhas, arrancando antigos reinos e estabelecendo o Seu. Seu zelo é imutável, Ele nos leva através do ritmo que precisamos para o crescimento máximo.

Uma coisa é certa: não vamos muito longe com Ele se não falarmos com Ele ao longo do caminho, transformando nossos pensamentos em orações à Ele. E, assim, “Regozijai-vos sempre. Orai sem cessar….” (1 Ts 5: 16,17).

Fonte: blog.ihop.org

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s