Culpas

Pr.Jose da Silva  

A culpa é uma situação que todos já passamos e muitos ainda passam por isso. É algo que fere a nossa maturidade, como cristãos.

Muitas pessoas vivem sob culpa e auto punição, mas isso é algo maligno e arrasador. É uma pressão insuportável sobre uma pessoa.
Mas a Palavra de Deus nos orienta a esse respeito.
I Jo 3: 18
Não devemos viver sob a dívida que já foi posta na cruz.
Se o nosso coração nos acusar, Deus é maior que o nosso coração.
Não há nada pior do que se sentir travado, acusado pelo passado.
Alguns carregam esse fardo, mas a Palavra nos adverte: Deus é maior!
Contudo, se nosso coração não nos condena, então temos paz.
Carregar o peso da culpa do passado é não desfrutar da graça perdoadora de Deus.

Em Lc 13: 10-17 diz que uma mulher esteve encurvada por 18 anos. Ela possivelmente se tornou sob esse jugo estando carregada de culpa, tornando-a endemoninhada.
A culpa pode trazer paranóia, gerando medos infundados e insolúveis para a pessoa.
Esse sentimento traz dúvida e falta de expectativa de que ela possa ser perdoada e restaurada. Essa pessoa nunca se sente redimida pela obra da cruz. Ela se torna juiz de si, onde a culpa pode ser clara somente a ela mesma, a Deus e ao diabo.

O sentimento de culpa é quando os medos e vergonha não dão trégua, tirando a esperança possível aos olhos da fé. A pessoa se sente incapaz, com vontade de fugir ou se esconder. Essa situação rouba a possibilidade de receber o perdão.

O rei Davi, por exemplo, foi alguém que carregou acusação, mas que ele mesmo havia imposto. Em Salmos 32 ele escreve sobre ser perdoado.
Quando a alma se encontra pesarosa, o corpo acaba pagando por isso. Muitos ficam fragilizados fisicamente, e facilmente manipuláveis.

Mas a bíblia expõe as fragilidades, a fim de nos libertar, e não humilhar. Precisamos nos examinar para que não haja áreas nebulosas nas nossas vidas.
Deus nos chama como somos, ainda que nos vejamos incapazes. Deus escolhe usar vasos de barro, pois são simples, para que a glória não seja do vaso, mas daquele que molda, o oleiro.
Ninguém escapa de cometer erros, Deus não trabalha com perfeitos.
A religiosidade também traz peso de condenação, diferente da graça.
O sentimento de culpa nasce no coração também quando a pessoa compara sua própria vida, com a vida dos outros. Mas sempre nos sentiremos inferiorizados, pois muitos de nós estabelecemos metas inalcançáveis, mas somos quem somos, e é pela graça.

Na igreja existem dois evangelhos: o da graça e o da culpa. A diferença entre eles é que quem desfruta do andar em graça, sabe que Deus não cobra mais do que podemos dar. Somos cobrados de acordo com o nível que estamos.

Alguns pais por exemplo, não como Deus faz, cobram seus filhos além do que eles podem dar. Mas Deus não exige nada de nós, que não podemos alcançar. Temos que amá-lo simplesmente de todo o coração, alma e entendimento. Por isso Ele se agradou da oferta da viúva, não era uma fortuna, mas era o melhor dela.

Creiamos: se pecarmos, temos um advogado justo, junto ao Pai. Pra que arrastar um fardo se o nosso Senhor perdoa tudo? Basta se arrepender de tudo.
Nascemos de novo para trilhar um caminho de maturidade.

Devemos entender que a santidade é uma intenção do coração de não pecar, ainda que cometamos pecados. A perfeita maturidade só alcançaremos no céu. O evangelho da graça não expõe o fracassado, porque podemos cair, mas não estamos abatidos, pois é Deus quem nos levanta.

Escrito por: kelly de souza.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s